• ABM

Messias e o Poder

Meus amigos: o dia do Juízo Final chegou. Mentira. Claro. Antes do Juízo, vem o Messias. Como o Brasil é um país cheio de peculiaridades, não temos um, mas vários Messias. E o mais inusitado de tudo: uma Messias. Como será que se escreve Messias no feminino? Deixa pra lá.



As promessas dos candidatos à Presidência são dignas de um Messias tupiniquim. Antes de me aborrecer, me divirto. Eles prometem o que não podem cumprir, o que está fora da atribuição de um(a) presidente. Nas promessas, eles legislam, julgam, mas não executam.



É por essas e estas que digo que o Brasil, longe ser um grande país, é apenas um país grande. Diferença enorme.



A caneta será o instrumento usado para extinguir a fome e a pobreza; com uma bravata encerrar-se-á as rebeliões nos presídios; ao toque sedutor de uma retórica os juros estarão contidos na casa de um dígito; para findar os problemas da segurança nada mais eficaz que uma campanha na novela da 8, exortando os bandidos, com doses cavalares de persuasão, a abandonar as armas e procurar outras atividades mas rentáveis como tocar piano, fazer literatura; oferecer-se-á cursos de jardinagem aos mais perigosos



Pensem na lúdica imagem de um Beira-Mar ou Marcola e porque não um Maluf, pazinha e regador em punho, a cultivar o saudável hábito de plantar flores em vez crimes?



O messias L.I.L’s (melhor que a abreviação de FFHH, não acha?) já fez sua parte, acabando com a pobreza de muitos dos seus amigos; a Srta. Helena, que em nada lembra sua xará de Tróia, levará ao Planalto não uma frota de navios para lhe resgatar da monotonia palaciana, mas uma frota de correligionários bravíssimos porque ela, apesar de baixar os juros, acabar com a miséria e colocar o Brasil no Primeiro Mundo na base da gritaria e do dedo em riste, manteve intacto seu modelito de estivadora; Geraldo Alckimin, homem sério, rígido no concernente à coisa pública, estatizará a Daslu e colocará sua elegante esposa no cargo de presidente vitalícia desta instituição tão necessária ao desenvolvimento do nosso país, sendo que seu primeiro ato será nomear a modelo Gisele (não sei escrever seu segundo nome) para ministra da Fazenda; fazenda de algodão, quero dizer, de onde sairão os fios que tecerão o futuro do nosso glorioso país. Amém.





Posts recentes

Ver tudo