• ABM

Hitler

Pergunta: É com algum pesar que administro esta entrevista.


Hitler: Sem bravatas! Seja sucinto, cordial e elegante, como é do meu estilo e do meu perfil. Levante esses ombros, ilumine este semblante! Está diante de uma jóia da arquitetura humana!


Pergunta: Meu senhor, o maniqueísmo ainda lhe apodera o espírito. Não é mais o líder que outrora foi.


Hitler: Liderança é o domínio dos bons sobre os fracos! Que arruaceiro pode se insurgir contra a viril força do homem de pulso? Medíocres!


Pergunta: Sua guerra foi o maior desastre do século XX. Um dos maiores da História. Uma calamidade total.


Hitler: Beócio! Indigno da minha astúcia! Sois incapaz de adentrar a sutileza das minhas inventivas! Não percebes que a guerra foi o maior benefício do ocidente para esmigalhar as potências orientais que iriam se apoderar dos milênios de contribuição do ocidente? És capaz de ignorar os auspícios da minha guerra e a imensa dívida que o mundo civilizado tem para comigo ancião sem rugas? Tua demência não te deixa ver decerto. Fostes também ludibriado pelas falácias dos vencedores!


Pergunta: 70 milhões de vidas ceifadas não justifica qualquer avanço.


Hitler: 70, 300, que diferença isso faz para a compensação dos tempos? Me dói saber que a minha obra não culminou com a higiene étnica que eu tinha imposto ao mundo civilizado. Pena é que eu estava cercado por oligofrênicos além dos meus territórios. Houvesse dois ou três líderes de semelhante fé e estaríamos no limiar do êxodo para a boa aventurança.


Pergunta: Sua retórica permanece fiel ao seu desprezo pelo que é bom e verdadeiro. Parece que apenas o ódio reside nesse seu corpo frágil e feroz.


Hitler: Criança de calças curtas! Os que caluniaram meus intentos não podem jamais alcançar o valor dos meus projetos.


Pergunta: Projeto infame. Torturar, esganar, trucidar em nome de uma ideologia é o que de mais nefasto ocorre diante dos céus.


Hitler: Potentes homens é que sabem digerir os destinos quando estão pendentes de soberanias! Observe a decadência do mundo em que reside. Tudo é prurido e descomposto. Falta ordem e um sistema. Meu partido era a ordem. Minha alma era o sistema.


Pergunta: Deu vontade de perguntar dos vários (mais de 200) atentados que o senhor escapou. Mas…


Hitler: Providências superiores! Eram elas o meu desígnio, a minha dianteira, o meu destino! É a prova mais poderosa de que o celeste habitava em mim.


Pergunta: O celeste se pinta de escarlate para enganar o bem. Resulta daí sua existência.


Hitler: Quais injúrias! Os infamantes me devem a glória de mim roubada! Mal feitores, desidiosos e magarefes!


Pergunta: Magarefes? O senhor foi um dos maiores açougueiros da História!


Hitler: Extirpei o que havia de decadente no mundo, o que restou foi o que não pude concluir.


Pergunta: Sem mais. O simples fato de falar com o senhor me causa engulhos.


Hitler: Um dia a historiografia ainda vai me reabilitar, como os homens perseguidos que num dia futuro a Igreja transformou em santos. Tal qual será com o meu nome. Os séculos que hão de matar as mentiras e os homens que as publicaram, ressurgirá como um colosso, e o Terceiro Reich reviverá triunfante, rumo a três mil anos de prosperidade!


Pergunta: O senhor é um rastilho, uma deformação da natureza. Me sinto impassível e triste diante de sua audácia. Para todo o sempre, adeus!

Posts recentes

Ver tudo