top of page
  • Foto do escritorABM

Calipso e a Verdade do Brasil





Dia desses escrevi que cada país tem o Nicolau que merece. A Rússia tem o Gogol; a Polônia o Copérnico; a Itália o Maquiavel. Nós temos o do Santos Neto. A Grécia nos deu Calipso, uma das deusas fiandeiras que se apaixonou por Ulisses (Odisseu) e seu drama virou alta literatura pelos olhos cegos de Homero. O que faz o Brasil para imitar burlescamente o que se produz de bom no além-fronteira? Produz Banda Calypso, assim mesmo com y, para conferir mais charme à bizarrice.


O Instituto Datafolha revelou que este grupo é o mais ouvido do Brasil, seguido por Zezé de Camargo. Isso explica muito do atual cenário caótico; da falta de segurança ao caos aéreo; da corrupção endêmica ao esgoto a céu aberto; dos mendigos na rua à et cetera trágica que assola a todos. A sociologia explica a miséria por meio da música. Os ouvintes da tal “banda” são quem na verdade dirigem o país. Antes havia o mito de que Roberto Marinho era quem mandava; desfaço o mito em uma linha; Chimbinha e Joelma são os controladores do promissor futuro do Brasil.


Um dos cúmplices da tragédia ouvido pela Folha de SP, produtor musical e também diretor de um programa idiotizante chamado “Ídolos”, explicou o sucesso do grupo: “A Calypso é a verdade do povo brasileiro, o Chimbinha é um guitarrista genial, seu repertorio é de fácil assimilação”. Concordo com ele. É muito mais fácil a fruição dos versos do Chimbinha do que coisas horrendas como estas: “Pena de pavão de krishna/ maravilha/vixe Maria mãe de deus/ será que esses olhos são seus?”. Ou outra coisa mais aberrante: “Eu sou funcionário/ ela é dançarina/ quando eu não salário/ ela sim/ propina”. Como, por Júpiter, um sujeito, alto dirigente do país morador dum rincão do Pará vai absorver isto? Então lhe enfie os sustenidos e bemóis dançantes da Joelma que todas as misérias destes flagelados serão suspensas, pelo menos até durar a música.


Já o Sr. Camargo ouvido pelo Datafolha não esboçou surpresa: “Sem querer ser arrogante, não vejo surpresa no resultado”. Eu vejo. E o resultado, Sr. Camargo, não poderia ser pior. Ou pode. Recebi por e-mail fotos “ocultas” que não vão para os jornais que mostram os mortos no “Morro do Alemão”, lugar onde o Sr. deve vender muitos Cds; cérebros esmigalhados; cenário de filme de terror. Mas aquilo acontece na “Comunidade”; “comunidade” é o cacete! Termo pejorativo e imbecil; porque a imprensa não noticia “Comunidade” dos Jardins ou de Ipanema?


Enquanto essa massa disforme chamada povo continuar a se alimentar e ser guiada culturalmente por essas teratologias vai mal o país; aposto um CD do Latino que 101% dos entrevistados pelo Datafolha (foram 135 cidades ouvidas) não façam a mais vaga idéia de quem (ou o que) seja Renan Calheiros; 99% ignora que exista um Congresso, sendo que o 1% que não ignora crê fielmente que ele seja um campo de pouso para naves extraterrestres e devem discutir acaloradamente entre um hit e uma birita se é necessário ou não a instalação do grooving na pista:


- Tinhorão, eu acho que tem precisão sim sinhô, e se morre uns Ets desse aí? A coisa fica preta pra nóis. Tem de butar esse greve lá sim sinhô.


Vou fazer como os atletas cubanos e pedir asilo político; na Barra da Tijuca, no Lago Sul em Brasília, ou nalguma mansão do Morumbi, quero urgentemente mudar deste país.




Escrito por Alex Menezes às 22h12


Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page