• ABM

A Rua

A rua onde nasce a gente


Nos precede, pós-cede


Nela andamos cheios de pruridos


rua desce ante nós.


Falta à rua que deixamos


A nossa vida. Os amores fenecem


Quando deixamos a rua


A rua perde-se


A rua renova a memória


Emplaca sabores, remete a


Árvore de natal.


Rude. Rua 15, número 16.


Sobram faltas na rua que


Estreita o pensamento.


Todos têm uma rua, na consciência


É um universo gigante porque conciso


A rua dispersa, escapa


Entrecruza, rua sem encruzilhada.


Minha rua é pobre.


Minha rua é triste.

Posts recentes

Ver tudo

Nina