• ABM

A Gente

A gente desperdiça a vida


Com melhorias


Que fazemos para iludir


A pobre ilusão.


A gente desgasta as pestanas


Pensando que seja ela ferro


E fundi-la à realidade que


Perece a todo instante.


A gente pensa que é besta


Se finge de besta


Simula dores e fúrias


Disfarçadas de pétala pura.


A gente quer esquecer


Para no fundo lembrar


De onde não vem nada


– Exceto o olvido


Há gente maléfica.


Que esvazia lacunas.


E brota poeiras de


Onde não sobra nem pó.


A gente é uma escuridão


Um talvez mesclado de


Afirmação, corroída


Entre um ninho de sins.


A gente às vezes padece.


Peritos que somos em prece.


Na hora triste da morte


Melancólico fim, nosso porte.

Posts recentes

Ver tudo

Nina