• ABM

Um Índio


A incredulidade dos índios isolados do Alto Amazonas ao avistarem o avião da Funai a sobrevoar sua gleba causou alvoroço na comunidade internacional. Também pudera. A foto que correu o mundo de um dos integrantes da tribo, arco e flecha em punho, mirando o aeroplano causa todo esse rebuliço, por que encanta e cisma no igual sentido.



Como? Em plena era do Google Earth, de naves que escavoucam planetas distantes, de engenharia genética; na época em que quase tudo é novo exceto os casos de corrupção no Brasil, como uma tribo ousa se manter alheia, distante de todo esse burburinho, ignorante da vista de um homem branco?



Não se sabe ainda se o índio apontou sua arma por susto com o pássaro de ferro, ou se o pretendeu abater para o jantar, é possível que não saiba que semelhante passarinho gigante só é digerível seu recheio, a carcaça não é comestível.



Ameaçados eles estão faz tempo; cada vez que uma madeireira avança rumo ao seu habitat eles escorrem para outra margem, e depois outras, mas as margens dos rios não são eternas como os ladrões de gravata do Brasil; têm um fim. E não admirará quando virmos um índio, o traje confeccionado com tinta, sentar conosco no ônibus ou no leito do hospital.



Perpassei vários canais noticiosos a cabo em busca de informações (já que foi uma instituição estrangeira “Survival Internacional”, quem distribuiu as imagens) sobre o episódio pitoresco; a ebulição das caras dos apresentadores da BBC, CNN, ABC, RTP, DW mereciam um instantâneo feito por Rembrandt; que sorrisos!, que entonações!, que performances!



Tais imagens não sei se depõem a favor ou contra o conceito que se tem do Brasil no além-fronteira; seremos com isto certificados como um país de silvícolas? Como retardatários da civilização? Ou como um país que apesar de tudo ainda preserva a vida nativa? Eu tenho uma opinião. Mas não a darei assim de graça.



Os índios vitimados pela ganância do homem sem cor, fugirá até para onde der; tempo virá que faltará selva, rios, e a salvação será sua tecnologia, avançadíssima, alguma tecnologia que nós ainda não conhecemos, mas que eles usam há milênios e com ela garante sua sobrevida em meio a tantos ladrões e agentes agrimensores.





Posts recentes

Ver tudo