• ABM

Soldado Macedônio

“Venha Bucéfalo, hoje cavalgaremos para o nosso destino”

Alexandre assombrava seus contemporâneos: era um deus? Era um homem? Atenienses e romanos reconheceram-no como o 13º dos deuses olímpicos; os egípcios o coroaram faraó; os babilônios, rei. Os judeus viram nele o precursor do Messias. Na Índia, seus traços físicos foram usados para representar Buda; certas igrejas primitivas santificaram-no; o Islã inclui-o entre seus heróis com o nome de Iscander e no Corão aparece com o nome Dur-Carnaim. A Bíblia no livro do profeta Daniel relata sua ascensão e queda: Daniel 15:11.



Depois de Jesus, a quem excluo por face de sua natureza divina, nenhum outro ser humano é dono de tão espetacular biografia e feitos.



Mas o maior general e líder militar da História era como um soldado nas batalhas; lançava-se na linha de frente e não raro era ferido pela sua ousadia. “Agia como um soldado imprudente”, diz Plutarco. Ao sitiar uma cidade na Índia, Alexandre se lançou contra as muralhas do reino sitiado...sozinho! enfrentando milhares de oponentes, seu escudo (o lendário escudo de Aquiles) e a couraça da armadura foram perfurados pelas setas inimigas e quando caiu ferido seu exército o salvou da morte certa. Ele acreditava que a águia de Zeus o amparava no alto dos céus.



Dono de uma memória prodigiosa (diz-se que ele sabia de cor os 15.693 versos da Ilíada e o nome de dez mil soldados!) falou a um soldado chamado Alexandre, que se acovardou numa batalha: “Ou você muda de atitude, ou muda de nome!”



Um rei humilde. Após ser festejado por todos os cidadãos de Corinto, viu que Diógenes, célebre pela aversão ao luxo, não o acolhera: foi até a casa do grande filósofo e lá chegando o encontrou a tomar banho de sol, nu, cortejou-o e perguntou se ele precisava de algo: “Sim, necessito que saias da frente do meu sol”. Ao ver que seus homens riam, ele os censurou: “Eu, se não fosse Alexandre, gostaria de ser Diógenes”



Em Alexandre a lenda se confunde com a realidade. Penso que, se uns 30% do que os historiadores escreveram sobre ele corresponder à verdade ele se torna um ser além de extraordinário; se tudo for verdade, o que é virtualmente impossível, ele não é humano.



Justino, que foi um dos mais ferozes críticos de Alexandre, resumiu assim seu oponente: “Dotado de um gênio mais que humano”. Sêneca nunca perdoou Alexandre: “O furor de devastar (....) era o que movia Alexandre e o lançava ao desconhecido”, Lucano, célebre poeta, não perdoa o guerreiro quando de sua morte: “Aqui jaz o insensato filho de Filipe, o salteador feliz que o destino vingador do mundo levou junto consigo”. Como tudo aquilo que é grandioso, Alexandre despertava ações de amor e ódio: Estatira, mãe do Grande Rei Dario a quem Alexandre derrotou, disse: “Morreu um filho meu” e semanas depois, morreu de desgosto.


Posts recentes

Ver tudo