• ABM

Mulheres de Angola, do Jô Soares e do MP

28/11/2007




Estava louco para falar de uma coisa boa hoje. Prestem atenção no verbo pernicioso, capcioso: “estava”. Estava é verbo intransitivo direto, aquele que não pede complemento. Veja o labirinto gramatical que, escondido num palavreado eloqüente, pode existir numa simples palavrinha, tão corriqueira quanto falar mal da sogra, mas menos saborosa e mais perigosa que este antigo e amigo costume. Pergunto ao senhor o que considera uma “coisa boa”. É variável. Minha felicidade pode significar seu fúnebre estado de espírito; basta dizer que namoro uma mulher mais bonita que a sua ou que comprei um carro mais potente que o seu: esses são os atributos com que se medem o status e o caráter do homem medieval, para o caso das moças, e do homem da Idade do Bronze, para o caso dos carros.



Para a precária manutenção do meu bom humor, faz-se necessário que eu esteja ou de bem com a vida ou de mal com a morte; a segunda hipótese deve se estender continuamente aos que teimam, apesar desse conhaque que, como o conhaque do Drummond, deixa a gente comovido como o diabo, em se manter vivos. Chega de tolices.



Quem assistiu a entrevista de Jô Soares em 18 de junho último não sabe do que estou falando. O Ministério Público, para quem não aprecia o Direito e seus vícios, é o “fiscal da lei”, o órgão criado pela Constituição de 1988 para verificar se a lei está sendo cumprida à risca; ele só risca da fiscalização casos prosaicos de meninas presas com meninos malvados em presídios do Pará. Pois é.



O MP quer fazer uma representação contra o humorista por julgar que a entrevista em que ele com o auxílio de fotos “chocantes” faz chalaça dos costumes das mulheres de Angola, que usam penteados exóticos para destacar um apelo sexual, simular uma vagina, retratar o clitóris. Fique frio aí que o You Tube vai mostrar para você a entrevista na íntegra, se avexe não, tenha um pouco de paciência que eu já colo no rodapé o link. Quando isto for transformado em livro, não quererei apagar esse parágrafo; até lá, criar-se-á um You Tube que se acesse direto do livro; a ponta dos dedos será o teclado, a tela será a palma da mão e no caso de leitores manetas, a mão do amigo será alugada; será a “mão house” do futuro.



A patrulha do Ministério Público é risível que rima com ridículo. Há protestos na Internet contra Soares acusando-o até de incentivo à pedofilia. O IBRAM, o venerável Instituto Brasileiro de Apoio aos Municípios, por exemplo, ainda não sofreu representação do MP, não obstante os venerandos vereadores do riquíssimo município de Matosinhos, em Minas Gerais, terem viajado às expensas dos munícipes, à encantadora cidade de Buenos Aires, para fazer uma “extensão” administrativa, aprender com os portenhos como se gere uma cidade com eficiência, mas pena, foram flagrados por uma câmera oculta fazendo turismo, escolhendo restaurantes, et coeterva, sem contar que o “certificado”, era fajuto. Zombaram mesmo. Parece que os moradores matosianos não gostaram muito do que viram e querem ou a cabeça dos vereadores, no melhor estilo francês, ou a mesma regalia, o que eu acho correto e até constitucional.



Salvatore Alberto Cacciola, que lesou os cofres públicos em mais de 1 bilhão de reais (por Atena!) está preso em Mônaco faz uns três meses, sem que a Injustiça brasileira alcance meios jurídicos de repatriá-lo para aqui. Mas para quê? Para o Excl. Sr. Dr. Ministro do Supremo Tribunal Federal, o ilustríssimo primo do Fernando Collor (indicado por este ao cargo, quando presidente) solte o banqueiro com o uso legal da lei? Prefiro que ele prossiga lá, fazer o quê aqui nessa terra de flagelos? Queria encontrar também a mãe da Excl. Sra. Dra. Etc., Etc., juíza CLARICE DE ANDRADE, que autorizou que a menor L., que roubou sei lá eu, um palito de dentes, ficasse presa com os rapazes do Pará. Diria eu para a veneranda mãe da juíza:



- Mas dona Maria, porque a senhora não pediu ao seu companheiro para usar camisinha?


Eis o site:


http://br.youtube.com/watch?v=EQ6KCKBmRPQ




Escrito por Alex Menezes às 00h04


Posts recentes

Ver tudo